terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

As pessoas são apaixonadas por imagens e a muitos anos já registravam os seus melhores momentos!

A história da fotografia vem sendo adaptada desde 350 anos a.c., época onde as imagens eram registradas através de um pequeno orifício em caixas escuras. As fotografias marcavam datas comemorativas como casamentos, bailes e reuniões familiares. Poucos profissionais dominavam a técnica de fotografar, os equipamentos eram muito caros e a tecnologia de revelação era muito delicada.

Com o passar dos anos muitas máquinas foram inventadas, técnicas para revelação modernas, adaptações de fleches e cores foram as maiores invenções até hoje. Com a chegada do digital tudo ficou mais fácil, não precisamos nos preocupar com poses, se fechamos os olhos e se saiu alguém que não deveria na foto. A imagem se tornou algo de fácil acesso, máquinas que permitem a própria edição no mesmo momento em que a fotografia foi tirada, está revolução tecnológica reuniu a imagem e a divulgação em tempo real.
 
Hoje os estúdios fotográficos estão na criatividade de cada um, podemos criar e deletar a qualquer momento uma imagem. Mesmo existindo a possibilidade de armazenar as imagens em ambientes virtuais, temos a necessidade de imprimir, queremos manter o sentimento de posse, procuramos registrar os nossos melhores momentos em álbuns, temos a sensação que a qualquer momento, a internet não será tão fiel com as nossas intimidades.
 

A fotografia conta histórias, registram momentos únicos, fotos passam de geração em geração, nos permitem a comparação do antes e depois, nos emociona com o passar do tempo, conseguimos ver detalhes de nossas vidas que talvez no momento real não foram possíveis. Tiramos fotos de nossos filhos, de nossos animais, registramos todos os primeiros momentos, uma viagem, nosso casamento e por fim, queremos inovar, um sonho de todas as mulheres, registar as suas intimidades, com tudo que tenham direito, e mostrar a verdadeira beleza escondida por anos.
  

 
A Boudoir Rouge sabendo da importância da fotografia para vida das pessoas e principalmente para intimidade do casal, resolveu criar o Studio Boudoir, um ambiente sex, reservado, elegante e profissional. Contamos com as melhores profissionais da área da fotografia, para registrar este momento especial para todas as mulheres. Venha conhecer o nosso trabalho, e deixe a imaginação te levar, inove e presentei o seu relacionamento com lindas fotos sensuais.






terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Curiosidades sobre o universo do Pompoarismo

Loja Boudoir Rouge
O pompoarismo é uma técnica pouco divulgada, mas é de extrema importância para saúde feminina. Ela se baseia no controle de contração e de relaxamento dos músculos vaginais, seus benefícios são diversos, entre eles a proteção contra a flacidez da vagina, causada pela gestação ou pela idade e previne doenças como cólicas e incontinências urinárias. Além de aumentar a libido e facilitar os orgasmos.    
 
Todas as mulheres, conseguem mensurar os primeiros benefícios, já no começo da prática de pompoar. A força muscular vai se tornando mais intensa conforme os meses.
 
As mulheres que praticam o pompoarismo, ficam com a aparência mais jovem. A ginástica íntima se torna mais ativa, com o aumento na liberação de endorfinas, elas passam a ter mais disposição. 
 
Loja Boudoir Rouge
A técnica já foi considerada como algo pervertido e imoral, mas com o avanço da tecnologia e informação, as mulheres já conseguem entender melhor os benefícios. Depois que começam a praticar o pompoarismo, fica mais fácil encontrar o prazer, aumentando a auto estima e alcançando cada vez mais o orgasmo.
                           
 
O processo é como se a musculatura estivesse adormecida, por isso a grande dificuldade em chegar ao orgasmo, as vezes elas podem até ter uma excitação e prazer, mas nem sempre conseguem se satisfazer.
 
Existem diversas maneiras de colocar em prática as técnicas de pompoar, são várias formas de controle vaginal sobre o pênis. Os homens geralmente ficam muito excitados quando a mulheres levam estes conhecimentos para cama. Não existem segredos, apenas treino e muita prática.
 
Hoje as sex shops, estão preparadas para receber novas clientes, a arte de pompoar requer muita atenção, mas não existem dificuldades, se preferir pode ler alguns manuais, mas uma boa consultora de sex shop já consegue te ensinar os primeiros passos. As novidades no mercado são infinitas, as bolinhas, os pesos e colares, todos confortáveis e próprios para estimular os seus desejos.
 



A Boudoir Rouge, está preparada para te receber e tirar todas as suas dúvidas, visitem a nossa loja e conheçam novas maneiras de viver plenamente, a sua sexualidade.


Loja Boudoir Rouge



 

 

Loja Boudoir Rouge
 
 

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Aqueça o seu carnaval usando fantasias sensuais Boudoir Rouge



video
 
O carnaval é uma das festas mais celebradas em nosso país, é o feriado mais esperando por milhões de brasileiros, vale lembrar que os estrangeiros também estão de olho em nossas festas. As nossas fantasias são as mais criativas, as músicas que embalam as batidas do tambor, são as melhores e o que seria do nosso carnaval, se não fossem as brasileiras com todo requebrado e sensualidade.
 

E por falar em sensualidade, a Boudoir Rouge preparou para este ano, as melhores e mais lindas fantasias sensuais. Aqui você pode se transformar em muitos personagens, para aquecer ainda mais o seu relacionamento. Além das fantasias, a Boudoir também trouxe muitos toys para contribuir com a sedução.
 
A magia do carnaval envolve todos os casais, é como uma renovação, uma nova lua de mel e por isso a criatividade tem que vir junto. Ao escolher uma fantasia para usar naquele momento especial, você passa adquirir uma nova identidade, você pode se tornar em uma enfermeira, uma policial ou uma salva vidas. Estudos apontam, que a quebra da rotina nos relacionamentos, é fundamental para manter a saúde e durabilidade do casal.


É importante lembrar, que a sensualidade pode ter várias formas, não se preocupe com idade, peso ou com timidez, o universo a dois permite liberdade. Envolva-se com uma história, assuma um papel, interprete e seja feliz. Não deixe de viver intensamente o seu relacionamento.



 

Há quem diga que todo relacionamento precisa de uma fantasia, um momento mais apimentado para não cair na rotina. As escolhas são intermináveis: desde uma leitura do livro Kama Sutra, a aulas de pompoarismo, mudar o ambiente, uma lingerie ousada, uma visita a uma sex shop para descobrir novos prazeres. Outra opção é fazer uma dança sensual, não há parceiro que resista.
 
 
 


Tudo começa com a preparação do ambiente. A primeira dica é usar velas ou um abajur, de preferência com lâmpadas de cores quentes. A segunda dica é aromatizar o ambiente com o seu perfume.
 
Um drink pode ajudar a relaxar o corpo e aliviar a tensão, mas a apresentação também é essencial. Para a noite ser inesquecível é importante estar 100% preparada: pele hidratada, depilação em dia, unhas feitas e uma bela lingerie. 
 
Outra dica muito importante é: Prepare um número com o tema escolhido, se você estiver vestida de policial, prenda ele com algemas, use o cassetete, de voz de prisão. E se estiver de enfermeira, simule uma consulta, faça alguns exames, sempre usando muita sensualidade. Hoje em dia as sex shops estão recheadas de novidades, você pode abusar de sua criatividade.
 
Não deixe de viver intensamente seu relacionamento, alimente todos os sonhos e desejos, seja feliz da forma mais simples, coloque a sua sensualidade a frente, se valorize. Aproveite a magia do carnaval e procure já a fantasia que melhor fique em você, estamos na rua Padre Chagas, 327, loja 10 ou visitem também o nosso site www.boudoirrouge.com.br. 
                                                                         
 
 

segunda-feira, 24 de junho de 2013

A HISTÓRIA DO VIBRADOR




Em meados do século XIX a ansiedade, a irritabilidade e a insônia eram reclamações frequentes de mulheres em consultórios psiquiátricos. 
Entre os médicos, o diagnóstico mais comum era de "histeria " , vista como a doença do ventre, causada pela negligência que o útero sentia. Platão tinha a teoria de que o útero era um animal dentro de um animal e de tempos em tempos ficava completamente fora de controle, por isso tinha que ser acalmado. 


De acordo com a crença maluca, o animal se acalmava massageando a vulva e a tal massagem provocava uma “crise”, tipo uma febre, batizada de “paroxismo histérico”( termo medico utilizado para o orgasmo, durante a era vitoriana), que apresentava algumas contrações e lubrificação e, depois dela, a mulher se sentia melhor por um tempo.

A histeria era crônica e as mulheres tinham que voltar ao médico de tempos em tempos.



Os médicos, por sua vez, perdiam muito tempo no tratamento, feito através dessa estimulação manual, então em 1869 o médico norte-americano George Taylor patenteou o primeiro vibrador e o batizou de The manipulator. Nada de pilha, bateria ou eletricidade: o primeiro vibrador era movido a vapor. 



Alguns anos depois, em 1880, apareceu o vibrador movido a manivela, inventado pelo inglês Joseph Mortimer Granville.





 

O primeiro vibrador elétrico só começou a ser comercializado no século XX, em 1902, pela empresa norte-americana Hamilton Beach, especializada em equipamentos de cozinha. Enfim, o remédio para curar a histeria feminina poderia ser levado para dentro dos lares.





Mesmo tendo se tornado um objeto doméstico, até os anos 1920, os vibradores não eram brinquedos sexuais. A publicidade da época, inclusive, anunciava as várias utilidades do produto – e nenhuma delas era erótica. 
 

 





Mas nos anos seguintes, os vibradores começaram a ser utilizados em filmes pornográficos e a sua imagem ganhou uma conotação sexual. Aos poucos, os brinquedos foram sendo proibidos pelos maridos e as propagandas em revistas e jornais começaram a desaparecer. 

                                                         O remédio virou fetiche.


Com a revolução sexual, em 1960 as mulheres se viram mais livres para usar esses brinquedinhos, conquistando assim, mais autonomia na sua vida sexual. 
Em 1998, eles começam a ocupar um espaço tão expressivo na vida das mulheres que, até a mídia passa a dar lugar de destaque ao acessório, como na série Sex in the City, quando suas protagonistas adquirem algum desses produtos. 






Hoje em dia, podemos encontrar inúmeros modelos, tamanho e funções para esses aparelhos. Eles podem ser a reprodução fiel de um pênis, ter o formato de bolinhas coloridas que você pode carregar na bolsa ou o formato de um batom. 


Há até modelos com dispositivos interativos, como os que são ativados com mensagens enviadas pelo celular ou conectados ao ipod, que reproduzem vibrações de acordo com a música que está sendo reproduzida. E ainda vibradores para o casal usar juntos.

 





O filme Hysteria contou as curiosidades da invenção desse objeto. 


terça-feira, 21 de maio de 2013

STRIP TEASE




 
No ano de 1917, a platéia do pequeno National Winter Garden esperava mais uma apresentação artística recheada de piadas, dançarinas sensuais e a apresentação de monólogos. Em dado momento, a platéia de maioria masculina se deparou com a apresentação da comediante Mae Dix. A atriz, preocupada com os custos de manutenção de seu figurino, despretensiosamente, tirou o gola de seu vestido. O gesto feito no palco acabou deixando os homens do local em alvoroço.


Percebendo a calorosa reação da platéia, Mae retirou os punhos de sua roupa e começou a abrir os botões de seu vestido. Aquele simples gesto acabou resultando na invenção de uma das mais populares e polêmicas performances do entretenimento: o strip-tease. Os donos do estabelecimento, os irmãos Minsky, aproveitaram do momento para estabelecer uma apresentação regular onde Mae, a partir disso, viria a “despir-se provocando”.


Depois de testemunhar o pioneirismo de Mae Dix, o National Winter Garden voltaria a ser palco de outro marco da história do strip-tease. Em 1931, a casa contratou uma garota que viria a ser a maior stripper da história dos Estados Unidos. Gypsy Rose Lee ficou famosa não só por sua beleza e um par de pernas sensacional, mas também por ser espirituosa e inteligente. Segundo Jessica Glasscock,, estudiosa do assunto o strip-tease é caracterizado por três elementos: revelar, provocar e divertir. Não necessariamente nessa ordem. “Um verdadeiro strip-tease é um espetáculo teatral, que requer um certo distanciamento entre quem provoca e quem é provocado”, diz ela. Gypsy Rose Lee entendeu isso perfeitamente.







O sucesso desse tipo de espetáculo foi interrompido por uma lei que determinou o fechamento definitivo dos teatros burlescos. O striptease foi completamente abolido.
Somente no final da década de 1950 e com a revolução sexual da década de 1960, que observamos o reavivamento dos shows de strip-tease. Uma das mais conhecidas dessa época foi Bettie Page, considerada um ícone das chamadas “pin-ups”. As pin-ups hoje representam um “revival” das conquistas femininas contra os padrões morais que regeram por muito tempo o comportamento da sociedade contemporânea.








Enfim, um breve relato da história do streap tease para lembrar a mulherada que a ala masculina é, e sempre foi,  grande apreciadora desta prática.

Com o dia dos namorados se aproximando que tal dar uma apimentada e surpreender o amado com um showzinho particular? A grande maioria dos homens morre de vontade de ver sua namorada ou esposa dançando com movimentos sensuais. 





Prepare tudo nos minimos detalhes. A iluminaçao do ambiente com velas aromatizadas é a pedida. Voce pode tambem usar  pétalas de rosas para o clima ficar mais romantico e preparar uma bandeja com moranguinhos e champagne.   
             

   


Capriche também na sua produção: salto alto é fundamental, além de peças bem femininas para serem tiradas bem devagar..como um vestido ou sobretudo com uma lingerie sexy, meias, cinta liga e luvas.
Escolha uma musica sexy, dance para ele e deixe seu corpo falar...olhe sempre nos olhos dele.

E não esqueça: revele, provoque, divirta..

Liberte sua criatividade e, voilà!!!







Demi Moore marcou época como stripper no filme Striptease/1996